25 de Maio – Dia da Indústria: Da revolução industrial a Industria 4.0

Categoria: Sem categoria | Última atualização: 25 de maio de 2022

25 de Maio – Dia da Indústria: Da revolução industrial a Industria 4.0

A indústria é um dos setores mais importantes para o desenvolvimento e economia de qualquer país e neste artigo vamos percorrer os avanços tecnológicos e revolucionários da indústria desde a 1ª Revolução Industrial até a Industria 4.0 que é o sistema industrial dos dias de hoje

Esse setor é responsável pela geração de empregos, criação de novas tecnologias e crescimento econômico.

Só no Brasil, as indústrias movimentam cerca de 1,3 trilhão de reais, o que representa 22,2% de todo o PIB nacional.

Por isso, se faz jus a um dia dedicado a todos que trabalham e fazem parte dessa poderosa engrenagem que movimenta o mercado e as economias de todo o globo.

1ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL – A INDÚSTRIA NO SÉCULO XVIII

A Inglaterra pode ser considerada como berço da 1ª Revolução Industrial. Em meados do século XVIII, com a criação das máquinas a vapor, a indústria têxtil migrou do processo de manufatura para o sistema fabril. 

Logo depois, esse processo passou a ser adotado pelas indústrias de metalurgia e pelas fábricas com grande número de funcionários.

A principal fonte de energia usada pelas fábricas e pelas máquinas era a queima de carvão. Foi nesse período que surgiu a Organização Fabril, onde as fábricas começaram a organizar os operários por setores e por níveis de conhecimento tecnológico.

A 1ª Revolução Industrial marcou o final da era feudalista e o início do capitalismo.

INDÚSTRIA NO SÉCULO XIX – 2ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Nos meados do século XIX e início do século XX, o setor industrial passou a usar a energia elétrica e fontes de energia provenientes do petróleo no lugar do carvão.

Essa revolução surge a partir do avanço tecnológico e científico na Inglaterra, França e Estados Unidos e, com ela, as pessoas passaram a comprar produtos industrializados.

Várias descobertas aconteceram nessa época, como a descoberta da eletricidade e os meios de produzir e controlar esse tipo de energia através das hidrelétricas.

Uma das grandes invenções desse período e que mudou completamente os meios pelo qual nós nos transportamos atualmente, foi a criação do motor a combustão.

Durante a 2ª Revolução Industrial, as fábricas começaram a implantar o processo de produção por linhas de montagem, que utilizam esteiras rolantes para transportar o produto até o funcionário responsável pela sequência de montagem.

Um dos grandes nomes que se destacou com esse processo foi o do inventor Henry Ford, que adotou esse sistema de trabalho para suas fábricas de automóveis.

Com as linhas de montagem, as indústrias ganharam velocidade e eficiência em seus processos de produção, possibilitando fabricar e entregar os produtos mais rápido.

O uso do aço foi empregado em diversos setores da indústria. Ele era utilizado na indústria automobilística, na metalurgia, na construção civil e na indústria marítima.

Ele era matéria-prima para construir pontes, trilhos de trem, estruturas de prédio, máquinas e tanques de guerra.

Foi uma época marcada por invenções que até hoje são de grande importância para o nosso cotidiano como a lâmpada, o telefone, a televisão, o cinema e muitas outras.

As áreas da ciência e medicina também tiveram grandes avanços com descobertas químicas e nas áreas de microbiologia.

Os cientistas descobriram como utilizar o petróleo para produção de plástico, resinas e lubrificantes. Já os estudiosos da medicina desenvolveram antibióticos e vacinas e novas técnicas para operar as pessoas.

A 2ª Revolução Industrial teve fim por volta da década de 1950, com o fim da 2ª Guerra Mundial.

SÉCULO XX – 3ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A 3ª Revolução Industrial foi um período de grandes avanços para a humanidade no geral.

Podemos dizer que essa revolução foi marcada pela inserção da tecnologia no campo científico.

Após o fim da 2ª Guerra Mundial as indústrias passaram a buscar novos métodos, ferramentas e tecnologias para os processos de fabricação.

Novos meios de comunicação surgiram após a década de 50 e os antigos meios que permaneceram foram aprimorados. Novas máquinas e instrumentos de trabalho foram criados, tanto para a indústria como para os laboratórios de pesquisa.

O avanço da eletrônica permitiu o desenvolvimento de novos sistemas onde a manufatura não fosse tão dependente da mão de obra humana, e robôs passaram a ser instalados em determinados pontos dos processos de fabricação. Com isso, áreas como robótica e computação ganharam destaque entre as décadas de 1960 a 1980.

Um grande ganho para a indústria foi o aumento na capacidade de produção. Uma vez que os processos foram aperfeiçoados e tornaram-se mais eficientes, foi possível fabricar produtos e bens de consumo com muito mais velocidade do que antes.

Esse foi um período de grandes conquistas e a chegada do homem à lua foi uma delas. Também tivemos grandes invenções e descobertas que mudaram nossa relação como sociedade.

Algumas delas foram:

  • O uso da energia atômica para fins pacíficos, através da construção de usinas termo nucleares e a aplicação em equipamentos médicos;
  • A biotecnologia e a engenharia genética fizeram grandes avanços nos tratamentos e prevenções de doenças;
  • A descoberta e desenvolvimento de novas ligas metálicas que permitiram avanços na metalurgia e construção de aeronaves.

Na década de 1990 tivemos um grande marco para esse período que foi a chegada da internet e, com ela, uma completa mudança nas formas de comunicação, não só entre pessoas, mas entre homem e máquina também.

E HOJE, COMO ESTÁ

Atualmente, muito se fala da Indústria 4.0, ou a 4ª Revolução Industrial, e as transformações que ela está gerando, não somente na indústria, mas em toda civilização atual.

Essa nova revolução tem como foco principal a automação industrial e a integração de diferentes tecnologias como robótica, inteligência artificial, computação na nuvem e inteligência das coisas nos processos de fabricação.

O uso dessas tecnologias permite que os equipamentos “conversem” entre si ao longo das operações industriais, permitindo a geração de informações e a conexão de diversas etapas da cadeia de valor com as áreas de desenvolvimento de produtos, desenvolvimento de projetos, produção e até mesmo o pós-venda.

A área de TI (Tecnologia da Informação) também é grande destaque nas últimas duas décadas e é responsável pela criação de novas tecnologias como a big data, cyber segurança, manufatura digital e computação na nuvem.

A cada dia novas tecnologias surgem para nos levar à nova era digital e a Indústria 4.0 está apenas no começo. 

Desde a invenção da máquina a vapor até a integração digital, as Revoluções Industriais foram responsáveis pelas transformações socioeconômicas dos países e na forma como nos organizamos como sociedade.

No Dia da Indústria queremos agradecer a todos os trabalhadores que contribuem e se dedicam ao desenvolvimento de novos métodos, processos e  tecnologias do setor industrial.